Materiais diferenciados ganham espaço em locais nunca vistos

Soluções também conta com uso de piso vinílico e iluminação com proposta despojada

 

Uma área de 190 metros quadrados sem uso transformou-se no recanto favorito de 300 funcionários. Criado para descanso do setor de call center do banco Agiplan, o projeto da designer de interiores Jaqueline Testa, da Criando Design, tem recantos como lounge e área para assistir TV equipada com pufes e até bolas de pilates.

 Imagem113

Foto: Christiano Cardoso / Divulgação

O que chama a atenção, porém, são os materiais: não extrapolam o orçamento e garantem conforto visual e ao toque.

– Pensamos em cores intensas para contrastar com as demais dependências da empresa, onde o cinza predomina – explica.

No piso, o vinílico azul e a grama sintética demarcam os espaços.O gramado artificial pode ser comprado por R$ 31 em média o rolo com 2m x 5m metros. Em alguns pontos foi usado como tapete.

As paredes foram trabalhadas com o máximo de estímulo visual com cores fortes – ao fundo, com a pintura em spray do artista Fabinho Bison.

Imagem112

Foto: Christiano Cardoso / Divulgação

Para o mobiliário, Jaqueline elegeu os pallets ou estrados de madeira, com móveis produzidos pelo Atelier dos Pallets. A base do sofá com até 5m de comprimento mais quatro mesas e uma base do grande futon central – sem contar as almofadas em tecido aquablock – custaram cerca de R$ 3 mil. Com este valor, seria possível comprar um sofá convencional de três lugares e uma mesa auxiliar.

Para a iluminação, mais soluções: pendentes de plástico da Semp Toshiba e todas eletrocalhas aparentes, com pintura automotiva.

Fonte: Zero Hora